Estados Unidos cobram da China respeito e preservação dos direitos humanos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

3 de maio de 2012

Estados Unidos —


Hillary Clinton em 2012.

Brasília – Em visita a Pequim, capital chinesa, autoridades que acompanham a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, apelaram hoje (3) para que o governo da China respeite e preserve os direitos humanos. O apelo ocorre em um momento delicado, pois até ontem o dissidente político e deficiente visual Chen Guangcheng estava abrigado na Embaixada dos Estados Unidos na China, alegando riscos para si e a família.

"Os Estados Unidos acreditam que nenhum Estado pode legitimamente negar direitos universais que pertencem a cada ser humano ou punir aqueles que os exercem”, disse o secretário do Tesouro norte-americano, Timothy Geithner, lembrando que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que aquele Estado que protege seus cidadãos “será mais forte e um parceiro mais próspero [dos Estados Unidos]”.

Ontem (2), Hillary cumprimentou Chen e disse que os Estados Unidos estavam dispostos a ajudá-lo e à sua família para que tenham dias melhores. Ela evitou criticar diretamente o governo chinês. Condenado em 2006 a 51 meses de prisão por perturbação da ordem pública, Chen se tornou um crítico do governo chinês. Ele denunciou a ocorrência de esterilizações e abortos forçados contra mulheres cometidos por autoridades do Partido Comunista.

Durante a visita, o presidente da China, Hu Jintao, pediu a Hillary que os Estados Unidos firmem com os chineses um respeito mútuo para resolver conflitos. "Devemos resolver nossas diferenças de forma adequada e respeitar e acomodar os interesses e preocupações dos outros", disse Hu Jintao.

"Dadas os nossos diferentes contextos nacionais, é impossível para a China e os EUA concordarem em tudo."


Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati