Estado de saúde de activista José Marcos Mavungo exige acção rápida

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

A denúncia é do presidente da Unita que visitou o activista.

30 de julho de 2015

O presidente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Isaías Samakuva, alerta para o estado de saúde preocupante do activista José Marcos Mavungo, detido em Cabinda desde 14 de Março. Samakuva fez esta declaração após visitar Mavungo nesta quinta-feira, 30, onde está detido e indiciado por crimes contra a segurança do Estado.

O líder do maior partido da oposição alerta que se o activista não for tratado a tempo o desfecho poder ser "triste".

"Chocou-me ao ver tudo isso, sobretudo sobre aquilo que poderia ser a razão que o levou àquela situação e, embora aparenta estar bem, quem conhece um pouco de problemas de saúde saber que não é assim, e e ele não for tratado em tempo podemos ter problemas com o dr. Mavungo", explicou.

Samakuva afirma que as acusações que pesam contra o activista são forjadas por uma justiça que maltrata os seus cidadãos e que "tem recursos para tratar melhor as pessoas".

No início de uma visita de dois dias a Cabinda, o presidente da UNITA encontrou-se hoje com a governadora Aldina da Lomba Katembo e presidiu um acto público no qual apelou as autoridades a atenuarem a miséria na província.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati