Estado Islâmico usa crianças em atentados suicidas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

8 de setembro de 2014

Iraque

Leila Zerrougui, representante especial da ONU para a infância e conflitos armados, afirmou que o Estado Islâmico usou crianças em suas operações e que cerca de 700 foram mortas ou mutiladas no Iraque desde o início deste ano. Os militantes usam as crianças de menos de 13 anos para levar armas, manter lugares estratégicos e prender civis, ou mesmo em ataques suicidas.

Ela também acusou as milícias aliadas do governo de recrutar crianças e acusou o governo iraquiano de prender crianças sem motivos claros. Nas palavras dela: "Estou consternada com o desprezo total pela vida humana demonstrado pelo Estado Islâmico durante seu rápido avanço na Síria e no Iraque". Zerrouqui também falou sobre o conflito em Gaza, ela disse que 700 crianças palestinas morreram e 3.106 ficaram feridas ou mutiladas na ofensiva do exército israelense. E ainda denunciou abusos contra crianças na Nigéria pelo grupo islamita Boko Haram, e igualmente na Líbia, Afeganistão, República Centro-africana, Mali e Sudão do Sul.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati