Estado Islâmico liberta 19 cristãos assírios após pagamento de resgate

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

1 de março de 2015

Síria

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) libertou hoje (1º), após pagamento de resgate, 19 cristãos assírios raptados passada semana no Nordeste da Síria, informou a Rede Assíria dos Direitos Humanos. "Dezenove reféns assírios chegaram hoje à Igreja de Nossa Senhora de Hassaké, depois de libertados pelo EI, informou Usama Edward, responsável pela organização não-governamental, com sede na Suécia.

"Chegaram em dois ônibus que os transportaram de Chaddadé (bastião do EI na província de Hassaké, onde foram sequestrados) até Hassaké, onde foram recebidos pelo arcebispo assírio Ehfrem Athnaeil", acrescentou. Usama Edward afirmou que um tribunal religioso do EI decidiu no sábado (28) libertar o grupo, em troca de uma soma de dinheiro paga por cada família. O EI considera o dinheiro um imposto ('jizya') que os não-muçulmanos ('dhimmis') devem pagar. "Até receber o dinheiro, o EI mantém duas reféns: uma menina de dez anos e a mãe", salaientou.

O diretor da rede disse desconhecer o montante exigido de cada família, mas lembrou que, em novembro, assírios sequestrados pelo EI pagaram US$ 1,7 mil por pessoa. As negociações com o EI para a libertação dos reféns começaram no sábado e foram conduzidas por responsáveis assírios e chefes tribais árabes muçulmanos. Durante a passada semana, os jihadistas raptaram 220 assírios na província de maioria curda. Aproximadamente cinco mil assírios fugiram com medo dos avanços do EI. Cerca de 30 mil assírios, um das mais antigas comunidades cristãs, viviam na Síria, sobretudo em Hassaké, antes do início da guerra civil, em 15 de março de 2011.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati