Erdogan pede ao Governo de Moçambique para ajudar a caçar seus adversários

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Presidente turco diz haver células ligadas ao golpe de Estado de 2016 em Moçambique.

24 de janeiro de 2017

O Presidente da Turquia pediu ao seu homólogo moçambicano Filipe Nyusi que o ajude a caçar os seus adversários políticos que ele considera terem estado por trás da tentativa de golpe de Estado em Julho do ano passado.

Recep Erdogan alertou nesta terça-feira, 24, para o perigo dos referidos grupos e disse esperar que Moçambique dê a sua cooperação, como um país amigo.

O pedido foi feito num encontro a sós com Filipe Nyusi e no qual Erdogan deixou aquele que foi um dos principais objectivos da sua visita a Moçambique.

Durante cerca de 20 minutos, Erdogan disse a Filipe Nyusi que quer o apoio de Moçambique para neutralizar células terroristas turcas que se encontram infiltradas no país.

"As alegadas células estão envolvidas em actividades ligadas ao sector do ensino e outras actividades sociais que parecem inofensivas ou mesmo ligadas ao desenvolvimento, mas tem por trás, planos terroristas que podem afectar Moçambique", sustentou o Presidente turco.

De acordo com informações de fontes que não se quiseram identificar, um dos alvos de Erdogan é a Willow International School, um dos maiores centros de ensino em Maputo, reconhecido pela sua qualidade e que serve, basicamente, filhos das elites políticas e económicas do país.

As autoridades de Ancara consideram a escola um dos investimentos do movimento Gulen e que deve ser encerrada.

A direcção da Willow recusou fazer qualquer comentário.

Os governos de Moçambique e da Turquia assinam hoje vários protocolos de cooperação e os presidentes Nyusi e Erdogan participam num fórum de negócios.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati