Entrada da Venezuela no Mercosul não prejudica acordo do bloco com Israel, diz Shimon Peres

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

13 de novembro de 2009

O presidente de Israel, Shimon Peres, disse ontem (12), ao participar de uma cerimônia na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) que não acredita que o acordo comercial entre o Mercosul e Israel vá ser prejudicado com a possível entrada da Venezuela no bloco. As relações de Israel com a Venezuela estão estremecidas desde o conflito na Faixa de Gaza entre palestinos e israelenses, quando o presidente venezuelano, Hugo Chávez, criticou duramente as ações das Forças Armadas israelenses.

Segundo Peres, o Mercosul não deverá adotar as iniciativas de Chávez. "Acredito que ele é que terá que adotar a política do Mercosul que é uma política de cooperação e não uma política de ódio". Peres disse estar muito satisfeito com o Brasil por ter aberto o Mercosul para Israel e reitereou que Chávez deve "chegar a um acordo mundial, porque o mundo não vai seguir o seu exemplo".

O chefe de Estado israelense ainda comentou, de forma bem-humorada, os problemas energéticos venezuelanos. "Sei que Hugo Chávez é um homem muito especial. Aliás, há um ponto em que concordo com ele. Como, por exemplo, que você não deve pensar quando está tomando banho, porque gasta água".

Peres também voltou a fazer críticas ao presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que teria financiado o Hezbolah. Em sua opinião, "uma organização terrorista", que dividiu a Autoridade Palestina. Mas acrescentou que, embora considere Ahmadinejad, um líder "que não tem mensagem positiva para o futuro, Israel deveria tentar um acordo de paz com o Irã".

No final de sua entrevistas aos jornalistas, o presidente de Israel afirmou que o Brasil pode ajudar nos acordos de paz no Oriente Médio. "O Brasil tem hoje uma voz especial que é respeitada em todo o mundo". Depois do evento na Fiesp, Peres iria receber uma homenagem no Clube Hebraica, em São Paulo.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati