Encontro em Pequim buscará incrementar relações entre China e América Latina

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

7 de janeiro de 2015

Brasil

O presidente da China, Xi Jinping, fará a abertura da 1ª Reunião de Ministros das Relações Exteriores do Foro Celac-China, feito nos dias 8 e 9 de janeiro em Pequim. O discurso do líder chinês está previsto para as 9h desta quinta-feira, 23h da quarta-feira no Brasil. Além dos ministros das Relações Exteriores de pelo menos 30 países participantes, estarão presentes na cerimônia de abertura os presidentes do Equador, Rafael Correa, da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Costa Rica, Luis Guillermo Solís, na qualidade de presidente pro tempore da Celac.

O tema do foro é Nova Plataforma, Novo Ponto de Partida, Nova Oportunidade, com o objetivo de estimular o incremento da China com a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), criada em 2011 e composta por 33 países da região e cerca de 600 milhões de habitantes. A ideia da reunião entre os chanceleres foi proposta pela China, durante a Cúpula de Brasília de Líderes do país e da Celac em Brasília, em 17 de julho de 2014, como forma de incrementar sua aproximação e investimentos na região.

Na ocasião, os líderes desses países reforçaram, em declaração conjunta, a “determinação de formular o Plano de Cooperação China-América Latina e Caribe [2015-2019]” com a finalidade de aumentar os vínculos e a cooperação entre as partes em áreas como diálogo político, comércio, investimento, agricultura, tecnologia avançada, energia renovável, manufaturados, pequenas e médias empresas, infraestrutura, cultura, educação, turismo, desenvolvimento social e sustentável e prevenção e mitigação de desastres naturais.

Além disso, a China convidou os países da Celac para a construção do Fundo de Cooperação China-América Latina e Caribe, no qual o país asiático oferecerá empréstimos de acordo com as necessidades e prioridades dos parceiros. Entre 2003 e 2013, o comércio entre os países da América Latina e do Caribe e a China cresceu 795%, passando de US$ 29 bilhões para US$ 259,6 bilhões, informou o Itamaraty. Este será o primeiro compromisso oficial fora do país do embaixador Mauro Vieira como chanceler do Brasil. Em seu primeiro discurso, após receber o cargo, defendeu uma “diplomacia de resultados”, que ajude a abrir e consolidar o acesso do país a todos os mercados.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati