Emissões de gás carbônico de termoelétricas aumentam mais de 100% em 13 anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

Amazônia
Outras notícias sobre o meio-ambiente


27 de agosto de 2009

Brasil


O forte aumento da quantidade de gás carbônico (CO2) gerado pelas termoelétricas, de 1994 para 2007, foi um dos dados de destaque dentro do quadro das emissões por combustíveis fósseis e processos industriais apresentado hoje (27) pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc.

Essa modalidade de geração de energia, que emitiu 10,8 milhões de toneladas de CO2 há 15 anos, foi responsável por jogar cerca de 24 milhões de toneladas do gás na atmosfera em 2007. O aumento foi de 122%.


Cquote1.png

Nossa matriz continua sendo muito limpa, porque ainda é muito baseada na hidroeletricidade, mas há um aumento significativo das termoelétricas. Então, nós temos que agilizar as hidroelétricas, incentivar a eólica [energia dos ventos] e a solar e impedir que continue o aumento das termoelétricas, que significará sujar a nossa matriz e torná-la mais cara também.

Cquote2.svg
Minc




O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, divulga a estimativa atualizada de emissões de gases de efeito estufa para os setores de energia e indústria no ano de 2007

O estudo das emissões de CO2, elaborado com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), compara os dados relativos à emissão do gás na indústria e no setor de energia.

Minc ressaltou a diferença da relação entre o aumento da geração de energia elétrica no país de 1994 a 2007 e o aumento das emissões de CO2. Enquanto, no primeiro a relação foi de 71%, no segundo chegou a 122%. O resultado final foi que a produção de energia elétrica se tornou 30% mais poluente em gás carbônico.

Levando em conta todos os segmentos responsáveis pelas emissões de CO2 , tendo como fonte os combustíveis fósseis e os processos industriais, o aumento foi de 49% e, segundo a estimativa, passou de 225,2 milhões de toneladas para 334,6 milhões de toneladas emitidas.

Outro setor que mereceu destaque foi o de transportes, que, no período analisado, passou de 94,3 milhões de toneladas de CO2 emitidas para 146,8 milhões de toneladas, um aumento de 56%. O meio rodoviário, que, em 1994, representava 88% do total de emissões, em 2007 elevou sua participação para 90%. Já o hidroviário teve queda de 4% para 3%.


Cquote1.png

Enquanto outros países estão se encaminhando cada vez mais para outras formas, no Brasil o 'rodoviarismo' não só não diminuiu como aumentou. Isso aponta para a importância de se investir no transporte público, das ferrovias, das hidrovias e mais biodiesel no diesel, mais flex, mais etanol, mais eficiência.

Cquote2.svg
Minc




O levantamento, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente, tem o objetivo de fornecer estimativas atualizadas das emissões de gases de efeito estufa do Brasil como subsídio para o planejamento de políticas públicas. Além de energia e indústria, também serão feitas estimativas de setores como agropecuária e florestas.

Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati