Embarcação uruguaia choca com o pesqueiro ilegal brasileiro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Área Naval do Porto de Montevidéo.

7 de setembro de 2008

Litoral de Uruguai e Brasil

Na última quarta-feira 3, a fragata Uruguay ROU I, da Armada (Marinha) uruguaia bateu um barco de pesca brasileira em águas territoriais do Uruguai, um país para o qual ele voltou com um outro navio da Marinha, ambos recém-comprados de Portugal, para combater a pesca ilegal.

Ao avistar dois barcos pesqueiros em águas uruguaias, às 15hs45, as fragatas da Marinha deu voz alta. Embora um deles conseguiu escapar, João Victor I foi capturado. Esta embarcação, de madeira e 18 metros de comprimento, tinha quatro toneladas e meio de pescada.

O confronto com o navio uruguaio foi provocado, segundo o capitão deste último, pelas manobras evasivas do infrator quando, ao navegar ambos a estibordo, é cruzada pelo meio. Como resultado, o pesqueiro sofreu feridas severas, deixando à deriva enquanto sua tripulação foi transferida para as fragatas da Marinha. Entre eles estavam um menor de idade. O navio uruguaio sofreu danos leves.

Ele foi incapaz de salvar o pesqueiro, apesar do esforço da Marinha do Uruguai, porque era importante para o processo judicial, segundo o capitão da operação, Ricardo Schunk, que acrescentou: "Por motivos do alto vento reinantes no sudoeste, o pesqueiro estava acontecendo à deriva em águas brasileiras e uma vez que entrou em águas brasileiras, nós perdemos qualquer autoridade para exercer, que a qual tinha o pesqueiro sob controle de radar até que se perdeu no radar. Nesse momento, quando o pesqueiro cruza a águas brasileiras é feito um relatório para a Marinha do Brasil, informando que esse pesqueiro se encontra a deriva sem tripulação, sendo um risco para a navegação, e dado a hora e o ponto exato que entra nas águas brasileiras e a partir deste momento ia responsabilidade escapa as nossas possibilidades".


Fontes