Embaixador dos EUA na ONU chamou os relatos de deportação de residentes de Mariupol para a Rússia de “notórios”

Fonte: Wikinotícias

20 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Relatos de que milhares de moradores de Mariupol sitiada foram deportados à força para a Rússia são "alarmantes" e "notórios" se forem verdade, disse a embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, no domingo.

Falando à CNN, Thomas-Greenfield disse que os EUA ainda não confirmaram as acusações feitas no sábado passado pelas autoridades da cidade de Mariupol.

“Acabei de ouvir. Não posso confirmar isso", explicou Thomas-Greenfield.

“Mas eu”, continuou ela, “posso dizer que é alarmante. É vergonhoso da parte da Rússia forçar cidadãos da Ucrânia a entrar na Rússia e colocá-los no que, de fato, serão campos de concentração e campos de prisioneiros de guerra.”

Em 24 de fevereiro, a Rússia lançou uma invasão em larga escala da Ucrânia, desencadeando um conflito que, de acordo com o Escritório de Direitos Humanos da ONU, resultou em mais de 900 mortes de civis ucranianos e quase 1.500 feridos em 19 de março, de acordo com o Departamento de Direitos Humanos da ONU. Escritório de Direitos.

No sábado, tropas russas bombardearam uma escola de arte local que escondia cerca de 400 civis, disseram autoridades da cidade de Mariupol.

O número de mortos ainda não foi estabelecido.

A Reuters não conseguiu confirmar ou negar de forma independente os relatórios das autoridades da cidade de Mariupol.

A Embaixada da Rússia em Washington ainda não respondeu a um pedido de comentário.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu no sábado negociações de paz em grande escala com Moscou.

Os EUA apoiam esses esforços, disse Thomas-Greenfield no domingo.

Na próxima cúpula da Otan, a Polônia apresentará oficialmente uma proposta para uma missão de paz na Ucrânia, disse o primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki nesta sexta-feira.

A Turquia está tentando mediar um cessar-fogo na Ucrânia. O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, elogiou esses esforços em uma entrevista à NBC no domingo.

“A Turquia está fazendo esforços reais para facilitar e apoiar as negociações entre a Rússia e a Ucrânia. É muito cedo para dizer se essas negociações podem levar a algum resultado concreto”, afirmou Stoltenberg.

Fontes