Eleições 2020: Republicanos iniciam convenção nacional ao ataque

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Imagem meramente ilustrativa.

25 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

Esta é a opinião de analistas políticos americanos nas suas análises à convenção do Partido Republicano iniciada nesta segunda-feira, 24, e que se segue à convenção dos democratas muito centrada em projetar uma imagem moderada de Biden, mas com poucas questões de substância.

Chris Christe, antigo governador republicano do Estado de Nova Jérsia, disse que na sua opinião “os democratas fizeram uma coisa bem e uma coisa mal”.

"O que fizeram bem foi apresentar um retrato de Joe Biden como uma pessoa amável, de compaixão, que se preocupa com os outros, o que eu acho que ele é pois conheço-o há muitos anos, e penso que fizeram isso muito bem", acrescentou Christie, que contudo acrescentou que na sua opinião "falharam nas questões em causa” nas eleições.

"Não falaram sobre isso e os republicanos vão agora ter que começar a falar dessas questões”, sustentou Christe, lembrando que "quando fizerem isso "vai se transformar numa corrida muito mais renhida".

A antiga congressista Barbara Comstock concordou, afirmando na mesma ocasião ter sido inteligente por parte do Partido Democrata ter-se concentrado em projetar essa imagem de Joe Biden porque muitos dos eleitores têm aversão ao modo como Trump fala e lida com as questões.

"Mas o nivel de desaprovação do Presidente deve-se a questões de personalidade não à política dos republicanos que não estão necessariamente a rejeitar", disse

Por seu lado, o antigo governador republicano de Wisconsin, Scott Walker, alegou que os republicanos vão nestes próximos dias apresntar uma visão de como tencionam fazer regressar o país ao boom económico que se registava anteriormente

Os republicanos, disse Walker à cadeia de televisão NBC, "têm que mostrar como é que podem levar o país de novo para a direção certa e depois contrastar isso com Joe Biden que entregou a sua agenda à ala radical da esquerda do seu partido'.

"Olhem para a frente e demonstrem que Joe Biden se tornou num radical", foi o conselho de Walker

No mesmo programa Gerald Seib, do jornal Wall Street Journal, afirmou que de fato há dúvidas “sobre se os democratas falaram o suficiente sobre as suas politicas para contrabalançar estas acusações que vamos ouvir toda esta semana por parte dos republicanos que Joe Biden foi empurrado para a esquerda pela ala progressista do seu próprio partido”.

"Falaram muito mais sobre personalidade do que políticas e planos", disse, afirmando que isso não serviu para contrabalançar "essa acusação de que na substância aquilo que Biden vai fazer ele foi empurrado bem para a esquerda".

O antigo governador Chris Christie é de opinião que após a convenção dos republicanos tudo muda porque "as pessoas vão querer concentrar-se em saber como serão os proximos quatro anos e o que é que Joe Biden diz sobre isso".

"Trump tem que apresentar uma visão de quatro anos, Biden tem que apresentar uma visão de quatro anos e depois as pessoas vão fazer uma avaliação", concluiu

Os republicanos esperam, sem dúvida, que a convenção sirva para reduzir a diferença nas sondagens que neste momento favorecem Biden.

Os próximos dois meses irão responder a isso.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit