EUA proíbem a entrada de parlamentares salvadorenhos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O governo dos Estados Unidos proibiu a entrada do deputado de El Salvador José Antonio Almendáriz Rivas, a quem vincula a “execução extrajudicial” em 1990 do médico espanhol Begoña García de Arandigoyen.

Em nota, o Departamento de Estado informou que Almendáriz se junta a uma lista de 13 outros salvadorenhos acusados ​​de violações dos direitos humanos.

“Os Estados Unidos condenam todos os abusos dos direitos humanos perpetrados por ambos os lados da brutal guerra civil em El Salvador, incluindo aqueles cometidos por atores governamentais e não governamentais”, disse o escritório.

Almendáriz faz parte do grupo parlamentar do Partido de Concertación Nacional na Assembleia Legislativa de El Salvador.

Begoña García chegou a El Salvador em 1989, servindo como médico voluntário do grupo guerrilheiro FMLN e, de acordo com arquivos da Comissão da Verdade sobre a Guerra Civil, foi executado por tropas sob o comando do então coronel Almendáriz.

O atual deputado, que nega participação ou encobrimento do fato, disse já conhecer a decisão do governo dos Estados Unidos. “Isso não é novidade, foi comunicado a mim por meio de um cônsul da embaixada quando a lei de anistia foi revogada”.

A proibição de entrada de Almendáriz também se estende ao seu círculo familiar e é anunciada justamente em meio às comemorações do Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit