EUA e UE denunciam eleições parlamentares na Rússia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de setembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Os Estados Unidos disseram na segunda-feira que as leis contra o “extremismo” na Rússia impediam os partidos de oposição de ter uma chance justa nas eleições parlamentares.

“O uso pelo governo russo de leis sob 'organizações extremistas', 'agentes estrangeiros' e 'organizações indesejáveis' ​​restringiu severamente o pluralismo político e impediu o povo russo de exercer seus direitos civis e políticos”, disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, em um declaração na segunda-feira.

“Além disso, não reconhecemos a realização de eleições para a Duma russa em território soberano da Ucrânia e reafirmamos nosso apoio inabalável à integridade territorial e soberania da Ucrânia”, acrescentou Price.

O partido de longa data do presidente russo, Vladimir Putin, conquistou uma vitória decisiva nas eleições, enquanto muitos políticos que apóiam o líder da oposição, Alexei Navalny, foram impedidos de concorrer.

Reino Unido também disse na segunda-feira que evitar que os políticos da oposição concorram e intimidar os eleitores não estava de acordo com os compromissos internacionais da Rússia com eleições livres e justas.

“As medidas tomadas pelas autoridades russas para marginalizar a sociedade civil, silenciar a mídia independente e excluir candidatos genuínos da oposição de participarem das eleições minam a pluralidade política e estão em desacordo com os compromissos internacionais que a Rússia assinou”, disse o Ministério das Relações Exteriores em uma declaração segunda-feira.

Na Rússia, muitos candidatos de partidos que se opõem ao Rússia Unida de Putin alegaram que a votação foi fraudada. Em pelo menos 15 distritos, os candidatos da oposição que estavam inicialmente à frente na contagem de votos perderam quando os votos eletrônicos foram contados.

“Eu sei que tal resultado simplesmente não é possível”, escreveu o candidato comunista Mikhail Lobanov no Twitter, pedindo que as pessoas se reunissem para discutir os “próximos passos”.

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit