EUA e Israel reafirmam acordo para impedir o Irã de desenvolver armas nucleares

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

24 de dezembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os EUA e Israel disseram que o programa nuclear iraniano "representa uma grave ameaça para a região" e prometeram impedir o Irã de obter uma arma nuclear após uma reunião em Israel entre o conselheiro de segurança nacional dos EUA Jake Sullivan e seu homólogo israelense, Eyal Hulata.

“As delegações discutiram a necessidade de confrontar todos os aspectos da ameaça representada pelo Irã, incluindo seu programa nuclear, atividades desestabilizadoras na região e apoio a grupos terroristas de procuração”, segundo um comunicado divulgado na quarta-feira pela Casa Branca.

“As autoridades afirmaram que os Estados Unidos e Israel estão alinhados em sua determinação de garantir que o Irã nunca receba uma arma nuclear”, acrescentou o comunicado.

Sullivan também teria informado Hulata sobre as atuais negociações nucleares internacionais em curso em Viena, Áustria, com o objetivo de ressuscitar o acordo nuclear iraniano de 2015. O ex-presidente Donald Trump retirou os EUA do acordo em 2018.

O acordo visava conter as ambições nucleares do Irã, reduzindo as sanções econômicas ao país. O Irã afirma que seu programa nuclear é para fins pacíficos.

Israel se opõe a um retorno ao acordo.

Após a reunião, as autoridades israelenses advertiram que, caso a diplomacia se rompesse, Jerusalém poderia lançar um ataque preventivo contra o Irã para impedir que o país adquirisse armas nucleares.

“O que acontece em Viena tem profundas ramificações para a estabilidade do Oriente Médio e a segurança de Israel para os próximos anos”, teria dito o primeiro-ministro israelense Naftali Bennett a Sullivan.

Fontes