Dono do refrigerante Dolly é preso sob acusação de sonegar impostos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

Laerte Codonho foi preso na manhã em sua casa na Grande São Paulo por fraude fiscal e lavagem de dinheiro.

10 de maio de 2018

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A Polícia Militar prendeu hoje Laerte Codonho, dono da empresa de refrigerantes Dolly, em sua casa na Granja Viana, em Cotia, na Grande São Paulo. Ele é acusado de fraude fiscal e lavagem de dinheiro. O valor desviado com a fraude é estimado em R$ 4 bilhões.

Codonho teve a prisão decretada pela 4ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo (SP) e foi detido em sua casa na Grande São Paulo. O empresário foi levado para 77º Distrito Policial na capital paulista. Além dele, o ex-contador da Dolly, Rogério Raucci, e o ex-gerente financeiro da empresa, César Requena Mazzi, foram presos e levados ao DP.

As fraudes cometidas pelo empresário Laerte Codonho, um dos sócios da companhia de refrigerantes Dolly, ocorrem há pelo menos 20 anos, afirmou hoje (10) o promotor Rodrigo Mansour Silveira, do Grupo de Repressão a Delitos Econômicos (Gedec) do Ministério Público de São Paulo (MPSP).

Segundo o Gedec, que investigou apenas o montante que não foi pago em impostos estaduais, só de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o valor que a Dolly deixou de pagar chega R$ 2,1 bilhões. Somando-se os impostos federais, que não são objeto desta investigação, o valor da dívida pode passar de R$ 4 bilhões.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit