Dirigentes e membros da IURD formalmente acusados de diversos crimes em Angola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

Agência VOA

Advogados requereram instrução contraditória que terá lugar na próxima semana

17 de agosto de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Vários dirigentes e membros da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola já foram formalmente acusados de diversos crimes e o seu julgamento depende agora apenas do tribunal, disse a Procuradoria Geral da República.

Os advogados dos arguidos solicitaram ao tribunal provincial de Luanda a instrução contraditória, o que foi anuído pelo juiz da causa e que terá lugar no próximo dia 25.

Segundo o porta-voz da PGR, o julgamento do processo destes cidadãos acusados de associação criminosa e branqueamento de capitais só depende agora do do tribunal.

Entre os arguidos soltos que serão julgados no Tribunal Provincial de Luanda, estão Honorilton Gonçalves da Costa, ex-representante máximo da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, Fernando Henriques Teixeira, ex-director da Record TV África, António Pedro Correia da Silva (bispo) e Valdir de Sousa dos Santos (pastor).

Álvaro João disse que a maior parte dos acusados “são estrangeiros” e disse estarem soltos mas não esclareceu se ainda estão em território angolano.

"Já foi introduzido ao tribunal uma acusação formal, na próxima quarta-feira, começará então a fase da instrução contraditória, disse.

Fontes