Diretor de inteligência do Equador é destituído do cargo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de abril de 2008

O Equador removeu da direção do serviço de inteligência o coronel Mario Pazmiño. A justificativa é que Pazmiño falhou ao não fornecer todas as informações referentes ao equatoriano Franklin Aisalla, morto durante ataque da Colômbia contra um acampamento das FARC no Equador.

Depois do ataque, o corpo do equatoriano foi levado para Bogotá ao mesmo tempo em que era reconhecido por familiares através de fotografias publicadas pela imprensa.

Os colombianos alegaram que o Aisalla tinha vínculos com as FARC, o que era desmentido pelo governo do Equador. Todavia, semana passada o Ministro da Defesa do Equador Wellington Sandoval declarou que Aisalla havia sido investigado pelo serviço de inteligência do Exército entre 2003 e 2005 por supostos vínculos com as FARC, mais especificamente por causa da sua relação com a colombiana Nubia Calderón, representante das FARC no Equador. O Presidente Rafael Correa queixou-se por ter sido avisado da investigação pela imprensa primeiro antes de ser alertado pelo serviço de inteligência.


Fontes