Dificuldades maiores este ano para as mulheres no Dia Internacional da Mulher

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Emprego informal - garota na Índia vendendo recipientes de plástico para transportar água.

8 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

De acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho, uma agência das Organização das Nações Unidas, globalmente as mulheres sofreram mais perdas de empregos relacionadas à pandemia do que os homens. Cerca de 5% das mulheres em 2020 perderam o trabalho, o que pode significar a perda de um emprego ou redução do horário de trabalho, em comparação com 3,9% dos homens.

“Cada vez que algo acontece no mundo, as mulheres são atingidas com o dobro da violência”, disse Anchia Mulima à VOA, coordenadora da Lemusica, uma organização de apoio a mulheres e raparigas em Moçambique.

Ao longo da pandemia, as Nações Unidas destacaram as disparidades entre como as mulheres foram afetadas pela crise em comparação com os homens.

“As desigualdades de gênero aumentaram dramaticamente no ano passado, à medida que as mulheres carregam o fardo do fechamento de escolas e do trabalho de casa”, disse o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres.

De acordo com a ONU Mulheres, 58% das mulheres empregadas globalmente trabalham em “empregos informais” ou empregos sem muita regulamentação e muitas vezes sem impostos ou benefícios. As mulheres também têm maior probabilidade de trabalhar nas indústrias mais afetadas pela pandemia, como hospitalidade e creche.

Nos Estados Unidos, as mulheres negras e latinas enfrentaram mais demissões em 2020 e tiveram ganhos mais lentos nos últimos meses do que as brancas.

De acordo com dados do Bureau of Labor Statistics (BLS) dos EUA, 8,9% das mulheres negras e 8,5% das mulheres latinas estavam desempregadas em fevereiro - em comparação com 5,2% das mulheres brancas.

Para muitas mulheres em todo o mundo em meio à pandemia, o desafio imediato pode ser sobreviver economicamente.

Fontes