Dia de eleições gerais em Moçambique

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aristóteles
Outras notícias sobre política


28 de outubro de 2009

Em um ambiente tranquilo, foram abertas nesta quarta-feira (28) as urnas em Moçambique, onde 9,8 milhões de eleitores são chamados a votar nas eleições presidenciais, legislativas e provinciais. Esta é a quarta eleição nacional desde a instauração da democracia pluralista em 1994, dois anos após o fim da guerra civil.

O presidente do país e candidato da FRELIMO a mais um mandato, Armando Guebuza, pediu aos moçambicanos que participem das eleições em “espírito de festa”. Daviz Simango, presidente do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e candidato à presidência, afirmou que realizava "um sonho de vida" ao participar da eleição. A RENAMO, que tem seu líder Afonso Dhlakama como candidato à Presidência pela quarta vez, deverá amargar mais uma derrota nestas eleições, com a ascensão do MDM.


Cquote1.png

Acredito que todos os moçambicanos, e apelo a fazerem isso, participem neste ato, que é fundamental para a nossa vida. Que o façam dentro deste espírito de festa que assistimos ao longo da campanha eleitoral e que queremos que se prolongue, sem situações de violência, em paz, em harmonia, como os moçambicanos sabem fazer.

Cquote2.svg
Armando Guebuza




O MDM, dirigido por Simango, prefeito de Beira (segunda maior cidade do país), espera se tornar a segunda força política do país, mas não deve acabar com a hegemonia da FRELIMO no Legislativo. O MDM ficou impedido de participar em 9 das 13 circunscrições, em uma decisão polêmica e muito criticada da comissão eleitoral.


Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati