Dia de combate ao tabagismo alerta sobre os riscos de ser fumante passivo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
No Dia Nacional de Combate ao Fumo, o médico pneumologista Celso Silva usa a boneca Alcatina para demonstrar os malefícios do cigarro.

Agência Brasil

Brasilia • 30 de agosto de 2009

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

No Dia Nacional de Combate ao Fumo – 29 de agosto – especialistas alertam sobre os males que o tabaco provoca aos fumantes e também aos não fumantes, ou fumantes passivos. O slogan da campanha neste ano, escolhido pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), é “Quem não fuma não é obrigado a fumar”. Estão sendo realizadas atividades em todo o Brasil para chamar a atenção das pessoas sobre os riscos relacionados ao tabaco.

Em Brasília, a campanha está sendo realizada ontem em um shopping da cidade. Médicos e técnicos da Secretaria de Saúde discutem o tema com a população e alertam sobre a importância de ambientes livres do tabaco. Durante toda a semana, esses profissionais de saúde levarão a campanha a ministérios, bancos, rodoviárias e ao aeroporto, entre outros locais de grande fluxo de pessoas.

De acordo com o médico pneumologista Celso Antônio Rodrigues, que é coordenador do Programa de Controle do Câncer e do Tabagismo no DF, as ações governamentais vêm ajudando a população a refletir sobre as mudanças de comportamento em relação ao fumo. Segundo ele, dados do Inca mostram que todos os dias pelo menos sete não fumantes morrem no Brasil por problemas ligados ao fumo passivo.

O médico lembra que quem não fuma, mas respira a fumaça, corre sérios riscos de ter as doenças dos fumantes. “O ano de 2009 está se consagrando pela onda dos ambientes livres do tabaco. O apoio da sociedade vem se constituindo como principal base para que governantes e legisladores adotem ações decisivas sobre a problemática que envolve o tabagismo”, disse.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit