Dia D contra a dengue mobiliza agentes de saúde em todo o país

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de dezembro de 2014

Brasil

Hoje (6) é o "Dia D de mobilização no combate à dengue", campanha nacional do Ministério da Saúde, que levou agentes às ruas de todo o país para conscientizar as pessoas sobre a importância de tomar cuidados e evitar a reprodução do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. Em Brasília, a mobilização está sendo feita na Rodoviária do Plano Piloto, área central da capital, e em áreas de comércio com grande circulação de pessoas, como shoppings e supermercados.

“A gente alerta a população para que redobre os cuidados com água parada. Daqui em diante [se] inicia o processo do aumento de depósitos, que chamamos de temporários, e servem para a reprodução do Aedes aegypti”, explicou o chefe de mobilização do controle de prevenção da dengue no governo do Distrito Federal (GDF), Júlio César Trindade. Também estão previstas ações de de limpeza urbana e atividades para alertar os profissionais de saúde ao diagnóstico correto das doenças.

Em um supermercado de Brasília foi montado um estande para explicar o que deve ser feito para evitar a reprodução do mosquito. A maquete, mostrando casas e caixas d'água, atraiu crianças, e as agentes do GDF puderam instruí-las, bem como a seus pais, sobre como afastar o risco de contrair dengue e chikungunya.

Luiz e Sara Gomes estiveram no supermercado e receberam orientações no local. Ele já contraiu dengue e sabe a importância de prevenir. “Não adianta eu fazer a minha parte e o vizinho não. Quanto mais pessoas eliminarem a água parada, menos mosquitos vão espalhar a doença. É importante essa conscientização, o Dia D da dengue, porque nem todo mundo sabe como proceder para evitar a doença”, disse Sara.

De acordo com Trindade, poucos minutos por semana são suficientes para eliminar os ovos do Aedes aegypti. “Se o morador, durante dez minutos de um dia da semana, eliminar toda a água parada que existir na residência, ele quebra o ciclo de reprodução do mosquito, que é de zero a dez dias”, ressaltou. Segundo o Ministério da Saúde, 80% dos focos dos mosquitos estão em residências.

Dados do ministério mostram que houve redução nos casos de dengue entre janeiro e 15 de novembro de 2014, comparado ao mesmo período de 2013, quando foram registrados 1,4 milhão de casos. Neste ano foram 566,6 mil casos, faltando computar um mês e meio até o fim do ano. As mortes por dengue também diminuíram de 652, no ano passado, para 398.

A febre chikungunya, por sua vez, teve 1.364 casos registrados. Desses, 71 são de pessoas que viajaram para outros países, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa. Os outros 1.293 casos são de transmissão no Brasil, principalmente em municípios de Oiapoque (AP), Feira de Santana (BA), Riachão do Jacuípe (BA), Matozinhos (MG), Pedro Leopoldo (MG) e Campo Grande (MS).

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati