Dez mortos em confronto de clãs rivais na Somália Central

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

2 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Pelo menos 10 pessoas morreram e 15 ficaram feridas quando milícias de clãs rivais entraram em confronto no centro da Somália, disseram moradores e anciãos da comunidade na terça-feira.

A batalha eclodiu nos bairros do distrito de Balanbal, na região de Galgaduud. Ambos os lados usaram granadas lançadas por foguetes, armas antiaéreas e rifles de assalto, disseram testemunhas e autoridades.

O que desencadeou a batalha entre os clãs Ayr e Marehan ainda não está claro, mas os dois grupos rivais têm um histórico de repetidas disputas sobre direitos de pastagens, poços de água e outros desentendimentos entre clãs.

“Pedimos a cessação da hostilidade. É lamentável que dois clãs irmãos briguem por questões triviais, enquanto suas famílias sofrem com uma seca severa”, disse Mo'alim Sugaal Guuled, um respeitado estudioso religioso da região.

Os confrontos ocorrem em um momento em que a crescente seca na Somália está criando uma enorme crise de deslocamento.

Autoridades somalis e agências internacionais de ajuda dizem que 245.000 pessoas já fugiram de suas casas, com números projetados para chegar a 1,4 milhão se a seca continuar.

Enquanto isso, um tribunal militar na cidade de Galkayo, no centro da Somália, proferiu sentenças de morte na terça-feira para cinco militantes da Al-Shabab acusados ​​de matar várias pessoas.

Outros dois réus foram condenados à prisão perpétua.

Os arguidos, todos com idades compreendidas entre os 18 e os 21 anos, compareceram no tribunal militar com uniformes de prisioneiros. Alguns deles pareciam chocados e confusos, de acordo com testemunhas na audiência.

No tribunal, antes que a sentença fosse anunciada, um dos réus gritou: “Somos inocentes e fomos incriminados!”

“Após os procedimentos judiciais, incluindo audiências e apresentação de provas, o tribunal condena esses homens à morte e à prisão”, disse o veredicto do tribunal. “Os réus foram responsáveis ​​pela morte de 10 pessoas, entre elas dois parlamentares e três oficiais militares de alta patente.”

Os réus têm 30 dias para recorrer da sentença.

A insurgência da Al-Shabab visa expulsar as forças de paz da União Africana, derrubar o governo da Somália apoiado pelo Ocidente e impor sua versão estrita do Islã no estado do Chifre da África.

Fontes