Deportação de venezuelanos para a Colômbia gera críticas à Casa Branca

Fonte: Wikinotícias

2 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A decisão do governo do presidente Joe Biden de deportar para a Colômbia cidadãos venezuelanos que tentavam entrar nos Estados Unidos e anteriormente residiam naquele país trouxe críticas à Casa Branca, tanto de democratas quanto de republicanos.

“Ao continuar a usar uma das piores políticas de imigração de Trump, este governo está dando as costas aos imigrantes que mais precisam de nossa proteção”, disse o senador democrata de Nova Jersey Bob Menendez, que atua como presidente do Senado, em um comunicado por escrito. Comissão de Relações Exteriores do Senado.

O legislador referia-se assim ao Título 42, implementado durante a presidência de Donald Trump no início da pandemia, que permite a expulsão imediata de imigrantes irregulares por motivos de saúde, e que se manteve em vigor durante a Administração Biden.

Menéndez, embora tenha aceite que a medida está de acordo com as precauções sanitárias nos EUA devido à pandemia de coronavírus, considerou também que “o governo deve pôr fim a estas expulsões e restabelecer o regular processamento dos pedidos de asilo”.

Na segunda-feira, o Departamento de Segurança Interna (DHS) confirmou a deportação no final de janeiro de dois cidadãos venezuelanos, um processo que provavelmente se tornará um recurso regular.

Falando à Voice of America, o senador republicano da Flórida, Rick Scott, disse: “Vou ao fundo disso para descobrir exatamente o que o governo Biden está fazendo, porque quero fazer tudo o que puder para ajudar os venezuelanos”.

No entanto, Scott insistiu que quer "uma fronteira segura; quero ter certeza de que temos pessoas que querem vir para este país e que querem nos ajudar".

Voos regulares

Desde sua chegada à Casa Branca, o presidente Biden tem enfrentado críticas de seus rivais republicanos, que o acusam de ser o causador de uma crise na fronteira sul, com o fluxo contínuo de centenas de milhares de migrantes, principalmente da América Central, Haiti e Venezuela .

Questionada por repórteres na terça-feira, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, confirmou que os EUA deportaram os dois cidadãos venezuelanos para a Colômbia sob o título 42, uma medida que foi implementada pelas autoridades Sanitárias em março de 2020.

“Estamos repatriando cidadãos venezuelanos que tentaram entrar nos Estados Unidos a partir de sua última residência, como a Colômbia; espera-se que o processo seja feito de acordo com os regulamentos regulares da Imigração”, disse ela.

Psaki disse que o programa está apenas começando, sem precisar por quanto tempo permanecerá em vigor, embora tenha adiantado que esses voos devem ocorrer "regularmente".

"Espera-se que os voos para a Colômbia com cidadãos venezuelanos com status legal ocorram regularmente", disse Psaki. "Claro, isso requer um acordo com o governo" da Colômbia.

Em entrevista à rede colombiana Blu Radio, a chanceler colombiana, Marta Lucía Ramírez, negou que o governo de Iván Duque tenha chegado a um acordo sobre o assunto com Washington, embora tenha admitido que, após ser consultado sobre o assunto, avaliará o decisão de retornos caso a caso.

A representação do governo interino da Venezuela em Washington emitiu um comunicado na mesma terça-feira em que explicou que em raras ocasiões apoiou a deportação de venezuelanos, como em casos criminais.

Em relação aos que chegam aos Estados Unidos solicitando asilo, o governo interino pediu ao governo Biden "que permita que os migrantes venezuelanos apresentem seu pedido de asilo, que seja avaliado de acordo com os procedimentos estabelecidos e, portanto, seja tomada uma decisão final".

Fontes