Demitido por dar exemplar da Bíblia a aluno, professor vence causa na Justiça e recupera emprego

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de maio de 2017

A vitória na Justiça de um professor cristão que foi demitido após dar um exemplar da Bíblia Sagrada a um de seus alunos se tornou notícia internacionalmente e vem inspirando cristãos em todos os lugares a se manterem firmes na defesa da liberdade religiosa.

Walter Tutka sentiu-se motivado a doar uma Bíblia a um aluno que ficou curioso a respeito de uma citação feita por ele durante uma aula. O docente disse que “assim, o último será o primeiro, e o primeiro, será o último”, fazendo referência a Mateus 20:16. O estudante manifestou curiosidade sobre a frase, e procurou o professor para entendê-la;

De acordo com informações do portal Faith Wire, o professor atendeu o aluno e mostrou-lhe a passagem bíblica em questão. Ainda mais interessado em aprender sobre a Bíblia, o jovem estudante pediu ao professor que o desse uma cópia, e assim Tutka ofereceu um exemplar das Escrituras para ele.

No entanto, a situação repercutiu entre os demais alunos e professores, e a direção do Distrito Escolar de Phillipsburg considerou que o docente cristão havia violado uma regra que proíbe os educadores locais de distribuir literatura religiosa nas escolas. Assim, Tutka foi demitido.

O fato, registrado no final de 2012, não acabaria nessa situação. O professor cristão recebeu ajuda jurídica da organização Liberty Institute e moveu um ação. Anos depois, a sentença foi favorável a Walter Tutka, que foi readmitido em seu antigo emprego, por ordem da Justiça.

A Comissão de Igualdade de Oportunidades de Emprego do governo federal dos Estados Unidos entendeu que o argumento do professor cristão era sólido, e que ele havia sido discriminado por causa de sua fé.

“Estamos muito satisfeitos por termos cumprido a missão que pretendemos alcançar: restaurar o professor Walt Tutka como educador substituto em Phillipsburg”, disse Hiram Sasser, advogado da Liberty Institute. “Nós sempre soubemos que Walt cumpriu todas as políticas do distrito escolar e as leis federais. Agora o professor está voltando ao seu serviço para a comunidade de Phillipsburg”, concluiu.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati