Daniel Ortega defende decisão de seu aliado Putin na Ucrânia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

23 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, aplaudiu na segunda-feira a decisão do governo russo de reconhecer Donetsk e Lushank, dois territórios separatistas da Ucrânia, como independentes.

Durante um ato transmitido por circuito fechado em uma praça de Manágua onde comemorou o 88º aniversário da morte do general Augusto C. Sandino, Ortega dedicou grande parte de seu discurso ao conflito entre Rússia e Ucrânia.

“O que o presidente Putin fez foi reconhecer esses governos, apesar da agressividade do exército ucraniano, eles não conseguiram derrotá-lo e logicamente isso traz apoio militar para que esses governos tenham segurança”, disse ele em defesa do envio de tropas russas para o região controlada pelos separatistas do leste da Ucrânia.

Por outro lado, acusou os Estados Unidos e vários países da União Europeia de descumprirem acordos e afirmou que "têm cercado e ameaçado a Rússia".

“Espero que os europeus e os Estados Unidos entendam que é hora de encontrar compreensão, ajuda, um acordo firme que dê segurança à Rússia”, acrescentou Ortega, sem mencionar os múltiplos apelos para parar esta crise por meio de canais diplomáticos que foram ignorados por O Kremlin.

Ele também pediu que “as mentes dos líderes dos Estados Unidos” sejam “iluminadas”, segundo ele, para impedir uma guerra “que não cause uma catástrofe no planeta Terra.”

Por causa das ações da Rússia, a Casa Branca disse na segunda-feira que imporia sanções às regiões ocupadas pelos russos de Donetsk e Luhansk.

A Casa Branca confirmou que o presidente Joe Biden emitirá uma ordem executiva que proibirá novos investimentos, comércio e financiamento por americanos nessas áreas.

Fontes