Criada a Comissão para investigar escândalo dos Correios no Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.

9 de junho de 2005

Brasil

 Após muita discussão será instalada nesta quinta-feira, 9 de junho, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias de corrupção na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

O Partido dos Trabalhadores (PT) inicialmente colocou-se contra a criação da CPI e tentou convencer políticos de outros partidos a não apoiar sua instauração. O Senador do PT, Eduardo Suplicy, desobedeceu a recomendação do seu partido e decidiu apoiar a criação da CPI. Ele foi atacado pelo partido e correu o risco de ser punido por causa de sua atitude.

Segunda-feira, o jornal brasileiro Folha de São Paulo publicou uma entrevista com o deputado Roberto Jefferson (PTB, da base aliada do governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Jefferson disse que o tesoureiro do partido do governo, Delúbio Soares, comprava votos de deputados no Congresso Nacional, oferecendo R$ 30 mil por mês para cada um que votasse a favor do PT. Jefferson chamou de "Mensalão" a mesada supostamente paga pelo PT aos deputados.

Após a divulgação das denúncias de Jefferson, a direção do PT voltou atrás e resolveu apoiar a criação da CPI para investigar o escândalo dos Correios.

Com o fim das objeções contra sua criação, foi anunciado que a CPI terá início nesta quinta-feira, 9 de junho. Foram indicados 32 nomes para compor a CPI. Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o governo tem 19 integrantes aliados e a oposição conta com 13.

Os nomes dos políticos que foram anunciados como integrantes da CPI são:

Titulares do Senado Heráclito Fortes (PFL-PI), César Borges (PFL-BA), Demóstenes Torres (PFL-GO) Sérgio Guerra (PSDB-PE), Alvaro Dias (PSDB-PR) Luiz Otávio (PMDB-PA), Wirlande da Luz (PMDB-RR), Maguito Vilella (PMDB-GO), Ney Suassuna (PMDB-PB) Delcidio Amaral (PT-MT), Ideli Salvatti (PT-SC), Tião Viana (PT-AC) Aelton Freitas (PL-MG) Jefferson Peres (PDT-AM) Fernando Bezerra (PTB-RN) Heloisa Helena (PSOL-AL)

Titulares da Câmara

  • Paulo Rocha (PT-PA), Colombo (PT-PR), Fernando Ferro (PT-PE)
  • Asdrubal Bentes (PMDB-PA), Osmar Serraglio (PMDB-PR), Fernando Diniz (PMDB-MG)
  • ACM Neto (PFL-BA), Onyx Lorenzoni (PFL-RS)
  • Eduardo Paes (PSDB-RJ), Gustavo Fruet (PSDB-PR)
  • Nelio Dias (PP-RN), Nelson Meurer (PP-PR)
  • José Múcio Monteiro (PTB-PE)
  • Sandro Mabel (PL-GO)
  • Denise Frossard (PPS-RJ)
  • Alvaro Dias (PDT-RN)

Suplentes do Senado

  • Efraim Morais (PFL-PB), José Jorge (PFL-PE), Romeu Tuma (PFL-SP)
  • Leonel Pavan (PSDB-SC)
  • Almeida Lima (PDT-SE)
  • Garibaldi Alves (PMDB-RN), Leomar Quintanilha (PMDB-TO), Gerson Camata (PMDB-ES), Valdir Raupp (PMDB-RO)
  • Roberto Saturnino (PT-RJ), Sibá Machado (PT-AC), Fatima Cleide (PT-RO)
  • Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)
  • Juvêncio da Fonseca (PDT-MS)
  • Geraldo Mesquita (PSOL-AC)

Suplentes da Câmara*

  • Wilson Santiago (PMDB-PB), Anibal Gomes (PMDB-CE)
  • Katia Abreu (PFL-TO), Murilo Zauith (PFL-MS)
  • Carlos Sampaio (PSDB-SP)
  • Benedito de Lira (PP-SE)
  • Geraldo Thadeu (PPS-MG)
  • Pompeo de Mattos (PDT-RS)

*Alguns partidos têm direito a indicar mais um nome ainda.

Fontes