Covid-19: EMA admite relação de coágulos com vacina de Oxford-AstraZeneca, mas diz que benefícios superam os riscos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Comitê de segurança da EMA (PRAC) concluiu hoje que coágulos sanguíneos raros devem ser listados como efeitos colaterais à vacina de Oxfrod-AstraZeneca (a ChAdOx1, na União Europeia chamada Vaxzevria).

Para a conclusão, o Comitê analisou 62 casos de trombose do seio venoso cerebral e 24 casos de trombose da veia esplênica, dos quais 18 foram fatais, e descobriu que a maioria ocorreu no Reino Unido, onde cerca de 25 milhões de pessoas já receberam a vacina, e em mulheres com menos de 60 anos de idade.

A EMA alertou que profissionais de saúde e pessoas que forem vacinadas devem ficar atentos para o desenvolvimento de coágulos sanguíneos em combinação com baixos níveis de plaquetas nas 2 semanas após a imunização.

Os efeitos adversos são muito raros e os benefícios gerais da vacina superam os riscos de efeitos, anunciou ainda a EMA num comunicado.

A Agência já havia se manifestado a favor da continuidade do uso da vacina em março passado, após alguns países, incluindo a Alemanha e a França, suspenderem suas campanhas temporariamente devido o relato dos coágulos.

Notícia Relacionada[editar]

Fontes[editar]

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit