Covid-19: Brasil tem 1.119 mortos por covid-19; é o pior momento desde julho

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por Rede Brasil Atual - RBA

O Brasil registrou 1.119 mortes por covid-19 entre anteontem e ontem. Com o avanço, já são 222.666 vítimas no país, de acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). O balanço empurra a média de mortes diárias, calculada em sete dias, para o pior momento desde o dia 25 de julho, com 1.060.

A semana deve se encerrar como a mais letal da epidemia no Brasil desde o pico registrado entre junho e setembro. As médias de agosto e setembro já foram superadas. Em relação ao número de novos casos, foram 59.826 no de ontem pra hoje. Desde o início do surto, em março do ano passado, 9.118.513 brasileiros já foram infectados pela covid-19, sem contar a subnotificação.

A média superior a mil mortes por dia também chegou em seu oitavo dia consecutivo. É o maior período desde o pico de 2020. O aumento nos números da tragédia possuem relação com o descontrole da pandemia no país. Desde o fim do ano, aglomerações passaram a ser comuns, especialmente em momentos de festividades.

Governos locais atuam de forma frouxa para conter o avanço do vírus, e desprezam a necessidade de medidas mais agressivas de isolamento social. Já o governo federal despreza por completo a ciência, estimula e provoca aglomerações com frequência. O cenário caótico na gestão do vírus coloca o Brasil como o pior país no combate à covid-19 no mundo, de acordo com estudo realizado por instituição independente da Austrália.

Grande impacto

O estado de São Paulo segue como o mais afetado pela covid-19. São 1.759.957 casos confirmados e 52.722 mortos desde março. Janeiro já se assegura como o de maior disseminação do vírus desde o início do surto. Foram 283.733 infectados oficialmente, um número 120% superior do que o mês de maior contágio até então, outubro.

A média de mortes diária em São Paulo está acima de 200 desde o início da segunda semana de janeiro. O patamar é similar ao registrado entre o até então pico do país. Hoje (29) o governo anunciou a suspensão dos pontos facultativos do Carnaval para impedir aglomerações e festividades, especialmente no litoral. Entretanto, o Executivo local segue contrário à lógica de isolamento ao forçar o retorno às aulas presenciais em fevereiro.

Na sequência dos estados mais afetados está Minas Gerais, com 721.697 doentes e 14.819 mortos; Bahia, com 581.880 infectados e 10.021 vítimas; Santa Catarina, com 573.104 doentes e 10.021 mortos; Paraná, com 543.104 contaminados e 9.923 mortos; e Rio Grande do Sul, com 543.449 infectados e 10.615 mortos; e Rio de Janeiro, com 516.868 doentes e 29.563 mortos. O Rio de Janeiro possui um caso menor de infectados em relação aos mortos, o que evidencia uma maior subnotificação no estado.

Notícia Relacionada

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit