Congo: militar Sheka condenado a prisão perpétua

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

23 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Ele foi considerado culpado dos crimes de homicídio, escravidão sexual e recrutar menores de 15 anos

O antigo senhor da guerra na República Democrática do Congo (RDC) Ntabo Ntaberi, conhecido por “Sheka”, foi condenado nesta segunda-feira, 23, à prisão perpétua por crimes de guerra.

O tribunal militar de Goma considerou-o culpado dos crimes de "homicídio, escravidão sexual e recrutamento de menores de 15 anos".

O porta-voz das vítimas, Kahindo Fatuma, disse à agência AFP que “este veredicto é um sinal forte para os outros senhores da guerra” e admitiu que “as vítimas ficarão um pouco aliviadas”.

A representante da Organização das Nações Unidas (ONU) em Kinshasa, Leila Zerrougui, parabenizou a sentença e afirmou que “a impunidade não é uma fatalidade".

De acordo com uma denúncia da ONU, ele foi acusado de, entre 30 de julho e 2 de agosto de 2010, ter atacado “13 aldeias, matado 287 pessoas, enquanto 380 mulheres, homens e crianças foram violados”.

“Também recrutou pelo menos 154 crianças”, concluiu a investigação. Sheka rendeu-se aos soldados em julho de 2017.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit