Comunistas e socialistas defendem entrada da Venezuela no Mercosul

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de novembro de 2007

Brasil

Deputados de legendas comunistas e socialistas defenderam a entrada da Venezuela no Mercosul.

O deputado José Genoíno do Partido dos Trabalhadores disse que rejeitar a entrada da Venezuela "seria andar na contramão" e que a tese contrária à adesão da Venezuela "está baseada em uma interpretação que, no passado, produziu o bloqueio econômico contra Cuba".

O deputado Flávio Dino do Partido Comunista do Brasil disse que a cláusula democrática do Mercosul não autoriza um país a impor, isoladamente, sanções a outro. Comparando o Mercosul com a OEA, Dino disse: "a Organização dos Estados Americanos (OEA) também tem uma cláusula democrática e nenhum país ou partido político pediu a exclusão da Venezuela da OEA". Dino ainda lembrou que a Espanha "embora seja uma monarquia e seguir cláusulas estranhas à democracia, não é considerada antidemocrática".

O líder do Partido Socialismo e Liberdade, deputado Chico Alencar defendeu a idéia de que a entrada da Venezuela representa uma "visão mais planetária sobre as relações com os países vizinhos" que "reforça o Mercosul que é uma condição estratégica para a diminuição das desigualdades sociais e políticas."

Notícias relacionadas

Fontes