Comandante-em-chefe da Ucrânia diz que contra-ofensiva está progredindo

Fonte: Wikinotícias

7 de agosto de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A contra-ofensiva ucraniana está progredindo, disse o comandante-em-chefe da Ucrânia na segunda-feira.

As linhas defensivas de Kiev estão paradas, pois as tropas estão repelindo as tentativas russas de contra-atacar, disse Valerii Zaluzhnyi em um comunicado no aplicativo de mensagens Telegram.

"Combates intensos estão em andamento e, passo a passo, as tropas ucranianas continuam criando as condições para avançar. A iniciativa está do nosso lado", disse Zaluzhnyi após um telefonema com o chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, general Mark Milley.

Até agora, a Ucrânia recapturou aldeias no sul e recuperou algum território ao redor da cidade devastada de Bakhmut, no leste, mas ainda não conseguiu um avanço contra as linhas russas fortemente entrincheiradas.

A vice-ministra da Defesa da Ucrânia, Hanna Maliar, disse que a Rússia estava usando todos os seus recursos para impedir o avanço de Kiev, mas que as tropas ucranianas avançavam constantemente em direção às cidades de Melitopol e Berdyansk, no sul, no Mar de Azov.

As autoridades ucranianas responderam às críticas de que a contra-ofensiva está indo devagar, dizendo que estão tentando evitar muitas baixas enquanto atacam linhas russas bem fortificadas que estão repletas de minas terrestres.

Em sua última avaliação sobre a invasão da Ucrânia, o Ministério da Defesa da Grã-Bretanha disse na segunda-feira que a força aérea da Rússia continua a implantar “recursos consideráveis” em apoio às operações terrestres na Ucrânia, mas sem “efeito operacional”.

O ministério diz que as aeronaves de combate tático russas normalmente realizam mais de 100 missões por dia, mas quase sempre estão restritas ao território controlado pela Rússia “devido à ameaça das defesas aéreas ucranianas”.

A avaliação também disse que, embora os helicópteros de ataque russos tenham se mostrado eficazes no início da contra-ofensiva no sul da Ucrânia, iniciada em junho, eles parecem ser menos capazes “de gerar poder aéreo tático eficaz no sul”.

Fontes