Collor diz que, assim como ele, Sarney está sendo vítima da mídia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

4 de agosto de 2009

O senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) responsabilizou ontem (3) a “mídia ou certa parte da mídia” como responsável pela atual crise vivida pelo Senado e também pelo forte apelo para que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), deixe o cargo. Collor garantiu que o peemedebista não sairá da cadeira da presidência e que o Senado não pode “se agachar” à imprensa.

“Acho que esta Casa não pode se agachar, e não haverá de se agachar, àquilo que a mídia ou certa parte da mídia deseja. Ela não conseguirá retirar o presidente José Sarney dessa cadeira. Não conseguirá”, disse o ex-presidente da República.

Collor, que sofreu impeachment quando ocupava a Presidência da República, em 1992, afirmou que, assim como ele foi, Sarney estaria sendo vítima de uma campanha difamatória. “Sei o que é isso, porque por isso passei, só que em maior escala. Sei como essas coisas funcionam e como isso tudo é feito, tudo é forjado. Sei como tudo isso nasce, desabrocha e sei a quem interessa que o Senado retire daquela cadeira o presidente que todos nós elegemos”, discursou Collor.

Um pouco mais tarde, o senador alagoano voltou a pedir a palavra para fazer o que chamou de “reparos históricos” e, entre outros pontos, disse que a revista Veja teria comandado um esquema para culminou em seu impeachment. “O que sofre hoje o presidente José Sarney, por parte de alguns setores da mídia, é algo que conheço bem, pelas entranhas”, reforçou Collor.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati