China e CPLP procuram novas formas de comércio em Moçambique

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

28 de agosto de 2014

O primeiro-ministro de Moçambique, Alberto Vaquina defendeu na terça-feira (26), que a plataforma de cooperação económica empresarial entre os estados membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e Macau (região autônoma da China) deve constituir um mecanismo de busca conjunta de soluções para a melhoria do ambiente de negócios, base para a atracção do investimento e para o desenvolvimento das economias.

Vaquina fez esta declaração na abertura em Maputo (capital de Moçambique, do 10º Encontro Empresarial entre os países da CPLP e a China (representada por Macau), com o objectivo de identificar e alargar as áreas com vista a um crescimento das relações nesse domínio. O governante notou que Moçambique tem vindo a realizar um intercâmbio profícuo com a China.

Por seu lado, João Macaringue, director do Instituto de Promoção de Exportações (IPEX), de Moçambique, defendeu que a interacção deve funcionar nos dois sentidos, o que ainda não existe, já que a cooperação tem sido mais no sentido China-CPLP.

O encontro, que reúne cerca de 500 empresários e representantes de câmaras de comércio e agências de promoção de investimentos, visa promover o relacionamento comercial e outras formas de parceria, além da identificação de janelas de oportunidade de investimento.

O formato destas reuniões foi celebrado em 2003 pelos ministros do Comércio da China e os países de língua portuguesa, no âmbito do Fórum Macau.

O Fórum foi criado pela China como plataforma de ligação aos países de língua portuguesa, devido ao seu desenvolvimento e à sua distribuição por quatro continentes, com grandes reservas naturais não exploradas e que, no seu conjunto, representam um mercado de consumo de mais de 200 milhões de pessoas.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati