China: frio extremo mata 21 atletas durante maratona

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

24 de maio de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Vinte e uma pessoas morreram no sábado quando o tempo ficou extremamente frio durante uma ultramaratona na acidentada província de Gansu, no noroeste da China, gerando indignação pública pela falta de planejamento de contingência.

A corrida de 100 km começou no sábado em uma área panorâmica em uma curva do Rio Amarelo conhecida por seus penhascos íngremes e rochosos. A rota levaria os corredores por desfiladeiros e colinas em um planalto árido a uma altitude de mais de 1.000 metros.

O evento começou às 9h (01h GMT) com os corredores vestidos com camisetas e shorts sob céu nublado, de acordo com fotos postadas nas redes sociais.

Por volta do meio-dia de sábado, uma parte da rota foi atingida por granizo, chuva congelante e vendavais que fizeram as temperaturas despencar, disseram autoridades da cidade de Baiyin durante uma entrevista coletiva no domingo.

"A chuva estava ficando cada vez mais forte", disse Mao Shuzhi, que estava com cerca de 24 km de corrida naquele momento. Tremendo de frio, ela voltou antes da seção de alta altitude, devido a experiências anteriores ruins com hipotermia. "No início, fiquei um pouco arrependida, pensando que poderia ter sido apenas uma chuva passageira, mas quando vi os fortes ventos e chuvas mais tarde pela janela do meu quarto de hotel, me senti muito sortuda por ter tomado esta decisão", disse Mao à Reuters.

Um grande esforço de resgate foi iniciado, com mais de 1.200 equipes de resgate despachadas, assistidas por drones de imagens térmicas, radares e equipamentos de demolição, de acordo com a mídia estatal.

Um deslizamento de terra após o mau tempo prejudicou o trabalho de resgate no local, que fica cerca de 1.000 km (620 milhas) a oeste da capital chinesa, Pequim. Um total de 172 pessoas participaram da corrida e ainda ontem foi confirmado que 151 participantes estavam em segurança. Um último corredor desaparecido foi encontrado morto às 9h30 de ontem, elevando o número de mortos para 21, informou a imprensa estatal.

Situação de risco

O condado de Jingtai registrou uma temperatura mínima de 6ºC no sábado, excluindo a sensação térmica. Já era esperado que Baiyin, incluindo Jingtai, deveria ter ventos moderados a fortes da noite de sexta a sábado, de acordo com a Administração Meteorológica da China em Pequim na noite de sexta-feira.

Um relatório separado no site dos serviços meteorológicos provinciais na quinta-feira previu uma queda "significativa" na temperatura na maior parte de Gansu - incluindo Baiyin - até domingo.

"Estava muito quente um dia antes da corrida e, embora a previsão do tempo indicasse que haveria vento e chuva moderada em Baiyin no sábado, todos acreditavam que estaria ameno", disse Mao.

As mortes geraram indignação pública nas redes sociais chinesas, com a raiva principalmente dirigida ao governo de Baiyin. Na entrevista coletiva, os oficiais de Baiyin se curvaram e se desculparam, dizendo que estavam tristes com a morte trágica dos corredores e que estavam assumindo a total responsabilidade pelo incidente.

Muitos dos corredores sofreram de hipotermia e se perderam com os ventos e a chuva fortes, de acordo com as imagens obtidas por Mao através de trocas de mensagens com os participantes. "Alguns estão inconscientes e espumando pela boca", avisou um corredor à Mao através de um aplicativo de mensagens.

O governo provincial de Gansu montou uma equipe de investigação para apurar melhor as causas das mortes.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit