Chávez diz na televisão que Israel usa métodos de Hitler e os EUA do Drácula

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.
O Presidente da Venezuela Hugo Chávez.Foto de arquivo: Marcello Casal Jr/ABr.

8 de agosto de 2006

O Presidente da Venezuela Hugo Chávez participou de uma entrevista para o canal de televisão árabe Al-Jazira no Catar que foi ao ar no último dia 4 de agosto. Ele comparou Israel a Adolf Hitler e os EUA ao Conde Drácula.

Chávez deu a entrevista e conheceu as instalações do canal em 29 de julho, durante um giro internacional por vários países europeus e asiáticos.

Na entrevista, que coincidiu com a data de seu aniversário, Chávez expressou solidarieda com o povo árabe: "Eu quero congratular o povo do Catar e seu líder, meu amigo e irmão, Príncipe Hamad. Deste seu discípulo, eu envio fraternalmente congratulações para todo povo árabe. Estou comemorando meu aniversário no coração da nação árabe, na terra árabe. Que feliz coincidência! Meu coração bate junto aos corações de milhões de árabes."

O venezuelano fez duras críticas contra o Estado de Israel e sua ofensiva contra o grupo terrorista Hizbollah e citou Adolf Hittler: "Nós sentimos que a agressão israelense contra os palestinos e o Líbano está dirigida contra nós também. Esta agressão é injustificada. Ele foi perpetrada na maneira facista de Hitler".

Em seguida, Chávez fez apelos para um cessar-fogo: "Neste dia, em que eu celebro meu aniversário, eu exijo, em nome do povo da Venezuela, que Israel se retire da terra da Palestina e do Líbano. Deve haver um imediato cessar-fogo. Devemos dar lugar para a diplomacia e respeitar a lei e os direitos humanos".

O Presidente da Venezuela também criticou os EUA: "Em 50 anos os EUA consumiram a energia que a humanidade consumiu em 150 anos. Agora eles estão trabalhando para tomar controle do petróleo das pessoas, a fim de consumi-lo, da mesma forma como Drácula. Eles são como Conde Drácula, sempre em busca de petróleo e sangue."

O mandatário venezuela fez um apelo para acabar com o que chamou de "imperialismo facista da elite": "A sociedade americana não pode e não deve acabar, mas o imperialismo facista da elite sim. Devemos derrotar o imperialismo neste século, de forma que a elite não aniquilará o mundo. Ou teremos sucesso em mil modos diferentes para acabar com o imperialismo, ou o imperialismo usará mil modos diferentes para aniquiliar o mundo".

Segundo Hugo Chávez, a fórmula para acabar com o imperialismo está na criação de um "mundo multipolar": "Como isso pode ser conseguido? A resposta está na estratégia que permitirá alcançarmos nosso objetivo - alcançar o que Jesus chamou de Reino dos Céuas. Como" A resposta pode ser dada por um mundo multipolar. A resposta é que nós devemos criar um mundo multipolar. Este é o espírito da política externa da Venezuela..."

O Presidente sul-americano lembrou o líder árabe Gamal Abdel Nasser e se referiu a si mesmo como um "Nasser que atravessa desertos". Chávez também elogiou o canal de televisão árabe ao dizer que a Al-Jazira desempenha um "papel de libertação no mundo".

Multimídia

Entrevista do Presidente da Venezuela Hugo Chávez para o canal Al Jazira. Fonte: Al Jazira, MEMRI.

Fontes