Cazaquistão nega relatos de "pneumonia mais mortal que o coronavírus"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de julho de 2020

O Cazaquistão descartou na sexta-feira, 10 de julho, como "falso" um aviso da embaixada da China para que seus cidadãos se protejam contra um surto de pneumonia no país da Ásia Central que foi descrito como sendo mais letal que o coronavírus, informa o The Indian Express. Em um comunicado divulgado na noite de quinta-feira em sua conta oficial no WeChat, a embaixada chinesa sinalizou um "aumento significativo" nos casos nas cidades cazaques de Atyrau, Aktobe e Shymkent desde meados de junho.

Na sexta-feira, no entanto, o ministério da saúde do Cazaquistão classificou os relatórios da mídia chinesa com base na declaração da embaixada como "notícias falsas". O ministério disse que seus registros de infecções por pneumonia bacteriana, fúngica e viral, que também incluíam casos de causas pouco claras, estavam alinhados com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde. "As informações publicadas por alguns meios de comunicação chineses sobre um novo tipo de pneumonia no Cazaquistão estão incorretas", afirmou o ministério.

O Cazaquistão, que impôs um segundo confinamento obrigatório (lockdown) nesta semana para conter a pandemia, registra quase 55.000 infecções por COVID-19, incluindo 264 mortes. O número de novos foi de 1.962 apenas na quinta-feira, um novo recorde diário.

Domínio Público Esta notícia é uma transcrição parcial ou total da PanARMENIAN.
Este texto pode ser utilizado desde que seja Atribuído corretamente aos autores e ao sítio oficial
.
Veja os termos de uso (copyright) na página da PanARMENIAN
Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com