Caracol é nomeado em homenagem ao tenista Novak Djokovic

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de maio de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
O caracol Travunijana djokovici

Por Equipe Editorial da Pensoft

Os caracóis de água doce são bons jogadores de tênis? Um deles certamente tem um nome para isso: conheça o Travunijana djokovici, uma nova espécie de caracol aquático que leva o nome do famoso tenista sérvio Novak Djokovic.

O bioespeleologista eslovaco Jozef Grego e o zoólogo montenegrino Vladimir Pešić, da Universidade de Montenegro, descobriram o novo caracol em uma fonte cárstica perto de Podgorica, capital de Montenegro, durante uma viagem de campo em abril de 2019. Seu artigo científico , publicado no open-access jornal Subterranean Biology , diz que o nomeou em homenagem a Djokovic "para reconhecer seu entusiasmo e energia inspiradores".

“Para descobrir alguns dos animais mais raros do mundo que habitam os habitats subterrâneos únicos do cársico Dinárico, para alcançar cavernas inacessíveis e para o trabalho incansável durante o processamento do material coletado, você precisa da energia e do entusiasmo de Novak”, explicam os pesquisadores.

T. djokovici tem uma concha branca leitosa na forma de um cone alongado e está adaptado para viver nos habitats subterrâneos do cársico Dinárico. Faz parte d Hydrobiidae, uma família muito diversa de pequenos a minúsculos caracóis - também conhecidos como caracóis de lama - que habitam locais com água doce ou salobra, incluindo cavernas e habitats subterrâneos.

Este é o primeiro membro do gênero Travunijana até agora descoberto na bacia do Lago Skadar e o único encontrado fora da bacia do rio Trebišnjica na Herzegovina, o que aponta para a enigmática distribuição desses caramujos nos habitats subterrâneos Dináricos. De onde eles vieram e como, permanece um mistério.

Por causa de sua pequena área de ocupação, T. djokovici é avaliado como vulnerável, de acordo com a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN. Ecossistemas subterrâneos, enfatizam os descobridores da nova espécie, são extremamente vulneráveis ​​às mudanças ambientais causadas pelo homem e, por serem obscuros, são frequentemente esquecidos durante os esforços de conservação.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit