Capacidades artísticas e atléticas podem estar evoluindo por seleção sexual, sugere estudo intercultural

Fonte: Wikinotícias
Charles Darwin

27 de agosto de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Um estudo de pesquisadores da USP, da Charles University (Tchéquia) e da Saint Mary’s University (Canadá) sugere que os processos de escolha por parceiros sexuais e amorosos e de competição entre homens e entre mulheres podem estar influenciando a evolução das capacidades artísticas e atléticas humanas, confirmando o que postulou o biólogo, naturalista e geólogo Charles Darwin (1809-1882).

Em sua teorização sobre a evolução das espécies, Darwin mostrou que, além da seleção natural, os animais possuem “ornamentos” usados para atrair o sexo oposto (como as penas coloridas do pavão) e “armamentos” para enfrentar indivíduos do mesmo sexo em busca de um parceiro sexual (como os chifres dos bois). Após reunir evidências em humanos e outras linhagens, Darwin concluiu, em 1871, que a seleção sexual pode ter influenciado o aperfeiçoamento das capacidades artísticas humanas, entre outras habilidades. De maneira semelhante aos animais, os seres humanos usam diversas estratégias para atrair parceiros e intimidar concorrentes e algumas delas podem ser as suas aptidões artísticas e atléticas, como a desenvoltura ao violão ou o desempenho no futebol.

O estudo faz parte do atual projeto de pós-doutoramento do pesquisador Marco Antonio Corrêa Varella, do Instituto de Psicologia (IP) da USP. Essa etapa do trabalho contou com a colaboração das pesquisadoras Zuzana Štěrbová e Klára Bártová, da Charles University; Maryanne L. Fisher, da Saint Mary’s University; e Jaroslava V. Valentova, do IP. O objetivo do estudo foi investigar as relações entre os componentes da seleção sexual e as inclinações artísticas e atléticas de homens e mulheres.

Brasileiros e tchecos de ambos os sexos, todos heterossexuais, responderam a questionários online de forma anônima. O tamanho da amostra obtida com participantes não heterossexuais não foi suficiente para a condução das análises estatísticas. Primeiramente, os voluntários indicavam o próprio nível de talento e de experiência em cada modalidade artística ou esportiva. Foram consideradas as habilidades nas artes literárias, visuais, musicais e circenses, assim como as esportivas gerais, individuais e coletivas. Em seguida, os participantes davam respostas relacionadas a aspectos da escolha de parceiros. Essas questões indagavam sobre a atratividade física, o número de parceiros amorosos e a tendência para o sexo casual ou para relacionamentos mais duradouros e comprometidos. Nessa mesma etapa, as pessoas também eram questionadas a respeito da competição por parceiros amorosos e do seu grau de agressividade.

As análises se basearam nas correlações dessas respostas de ambas as etapas: dos indicadores dos processos de busca e competição por parceiros com o nível artístico e atlético de cada um.

Os dados foram publicados no artigo Evolution of artistic and athletic propensities: Testing of intersexual selection and intrasexual competition e está disponível no número especial do periódico internacional Frontiers of Psychology, que celebra os 150 anos do livro The descent of Man and the selection in relation to sex, publicado por Darwin em 1871. Nesse livro, o pensador propôs que a musicalidade humana evolui através da seleção sexual.

Fonte