Cabo Verde: Governo quer eleições regionais em 2020

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

O governo de Cabo Verde aponta 2020 como data para a realização das primeiras eleições regionais no arquipélago.

7 de fevereiro de 2017

O ministro das Finanças avança que o custo da regionalização ronda 0,2 por cento do PIB, perfeitamente suportável pelos cofres do estado. Olavo Correia afirma que o processo é irreversível, porque é preciso dar mais autonomia às ilhas.

Já o antigo presidente da autarquia da Ribeira Brava na ilha de São Nicolau considera que o assunto precisa ser aprofundado, tendo em conta que não cabe apenas a uma parte definir as linhas e decidir sobre a matéria. Por outro lado, Américo Nascimento entende que se devia concentrar atenções “no reforço do poder local”, porquanto ainda há algumas Câmaras municipais que enfrentam muitas dificuldades.

De acordo com o projecto de diploma em discussão, cada região tem um executivo que chama Junta Regional que terá presidente e 3 vogais e uma Assembleia Regional, cuja composição depende da população e das assembleias municipais que integram a respectiva região. O ministro das finanças considera que o processo de divisão do arquipélago em regiões administrativas é irreversível, sendo o custo suportável pelo estado, já que cifra em 0.2 por cento do PIB.

Por sua vez o ex-presidente da Câmara da Ribeira Brava na ilha de São Nicolau, Américo Nascimento advoga maior aprofundamento e debate alargado sobre a matéria, porquanto “muita coisa precisa ainda ser definida, questões que não se resolvem no prazo de três anos”.

O modelo de regionalização segundo disse recentemente o Primeiro-ministro aborda a ilha nas dimensões política, administrativa, económica e ambiental, dotada de competências de governação.

Pese embora ambos os órgãos serem eleitos, trata-se de uma regionalização administrativa.

Este tema tem suscitado vários comentários, com algumas pessoas a falarem de ganhos que a regionalização tratará para as ilhas, enquanto outras vozes discutem o modelo e a forma como o processo está sendo conduzido.

Refira-se que na década de noventa, o então Governo do MPD criara o cargo de Governador Civil, mas o mesmo acabaria por ser extinto pelo executivo do PAICV, após a vitória desse partido em 2001.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati