CPI dos Correios vai investigar pagamento do PT para empresa do Vice-Presidente do Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Na Wikipédia há um artigo sobre escândalo do mensalão.


6 de dezembro de 2005

Brasil

A CPI dos Correios vai requistar à empresa do Vice-Presidente da República José Alencar, Coteminas, informações sobre todas as operações de compra e venda realizadas com o Partido dos Trabalhadores (PT), informou o relator da CPI deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR).

O jornal Folha de S. Paulo publicou na edição de domingo (4) uma notícia que afirma que o PT fez um depósito de R$ 1 milhão na conta da empresa Companhia de Tecidos Norte de Minas (Coteminas), de propriedade da família do Vice-Presidente e Ministro da Defesa José Alencar.

O depósito aparece num relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), órgão ligado ao Ministério da Fazenda. O depósito de R$ 1 milhão em dinheiro vivo foi feito no dia 17 de maio de 2005 na conta número 55063-9 (Coteminas) da agência 2374 do Banco Bradesco. O CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) do depositante é 00.676.262/0002-51, que é um dos CNPJs usados pelo PT.

Segundo a Folha de S. Paulo o depósito foi reconhecido pelo ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e pelo presidente da Coteminas, Josué Gomes da Silva, que é filho de José Alencar.

O presidente do PT Ricardo Berzoini. Foto (arquivo): Wilson Dias/ABr.

O PT tem uma dívida de R$ 12 milhões com a Coteminas referente à confecção de 2,75 milhões de camisetas para a campanha eleitoral. Segundo Gomes da Silva, o valor de R$ 1 milhão corresponderia a primeira parcela do pagamento desta dívida.

O pagamento não aparece nos documentos entregues por Marcos Valério para a CPI. Tampouco aparece nos documentos da quebra de sigilo bancário do PT que estão de posse da CPI. Não há registro de que o partido tenha conta no Bradesco.

A atual direcção do partido alega que não há registro do depósito. O presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, e o secretário nacional de Finanças, Paulo Ferreira, divulgaram uma nota na segunda-feira (5) onde afirmam que o pagamento de R$ 1 milhão à Coteminas não consta na contabilidade do partido. Segundo a nota, na contabilidade do partido consta apenas a dívida de R$ 11 milhões com a Coteminas, devidamente documentada, referente à compra de camisetas para a campanha eleitoral de 2004.

O relator da CPI deputado Osmar Serraglio disse que vai enviar um ofício à Polícia Federal para que esta identifique o funcionário da Coteminas que recebeu a quantia de R$ 1 milhão em espécie, supostamente referente ao pagamento de camisetas.

"Se o PT não registrou o pagamento, estamos tendo uma confissão. Mais uma campanha suspeita, irrigada com caixa dois. Que eleição foi essa?", perguntou o relator.

O relator avisou que por enquanto a CPI não irá pedir a quebra de sigilo bancário da Coteminas, porque considera não haver ainda suspeitas sobre a empresa.

Ver também

Fontes