CO2 bate recorde no Hemisfério Norte

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de maio de 2014

Mundo

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou que as concentrações mensais de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, uma das causas do aquecimento global, superaram pela primeira vez, em abril, o limite de 400 partes por milhão (ppm) no Hemisfério Norte, considerado "altamente simbólico no plano científico". Segundo o relatório, essa concentração "demonstra, mais uma vez, que a exploração de combustíveis fósseis é responsável, assim como outras atividades humanas, pelo aumento contínuo das concentrações de gás com efeito estufa que aquecem o nosso planeta". O CO2 permanece na atmosfera por centenas de anos e sua duração nos oceanos é ainda maior. Ele é o principal gás de efeito estufa emitido pelas atividades humanas.

Essa taxa foi registrada no ponto mais alto da temporada, que acontece no início da primavera, antes que o gás seja absorvido pelo crescimento vegetal. Em escala global, a concentração de CO2 na média anual deveria cruzar a barreira simbólica em 2015 ou 2016, acrescentou a OMM, informando ainda que o nível de CO2 na atmosfera alcançou 393,1 partes por milhão em 2012, o que representa 41% a mais do que o registrado na era pré-industrial (278 partes por milhão). "Se quisermos preservar nosso planeta para as futuras gerações, é preciso agir urgentemente para reduzir as emissões deste gás que aprisiona o calor", declarou o secretário geral da OMM, Michel Jarraud, para o que "já não resta muito tempo".

Fontes[editar]