Bukele: "Cometemos o erro de confiar na OEA"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O presidente salvadorenho, Nayib Bukele, disse que confiar na Organização dos Estados Americanos (OEA) para acompanhar a Comissão Internacional contra a Impunidade (CICIES) foi um "erro".

A CICIES, entidade que visa combater a corrupção em El Salvador, foi uma das promessas de campanha de Bukele, quando ainda era candidato à presidência.

As palavras do presidente vêm depois que o chefe do Ministério Público, indicado por seu governo, Rodolfo Delgado, tornou público o fim do acordo que o país assinou com a OEA para apoiar o combate à corrupção.

A ruptura do acordo firmado em 2019, segundo o servidor público, ocorre porque o secretário-geral da OEA, Luis Almagro, anunciou, no dia 3 de junho, a contratação do ex-prefeito de San Salvador e integrante do partido oposicionista ARENA, Ernesto Muyshondt, como assessor da OEA.

Por meio do Twitter da Casa Presidencial, o presidente salvadorenho questionou a OEA em um tópico: “Como é possível que alguém que deveria estar lutando contra a impunidade venha dar impunidade a quem cometeu todos esses crimes? E que todos os salvadorenhos os conheçam.”

“Não podemos continuar a permitir que os responsáveis ​​pela luta contra a impunidade em El Salvador sejam os que dão impunidade aos criminosos”, disse Bukele.

O presidente também objetou que não pode mais confiar na instituição por ter "um viés político" e que a indicação do ex-prefeito como assessor "faz parte de um plano".

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit