Brasil vai retormar projetos com a Bolívia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lula recebe Evo Moralles em Brasília (18/11/2005). Foto: Ricardo Stuckert/PR.

4 de janeiro de 2006

Brasil

Segundo a Agência Brasil, a estatal brasileira Petrobras, ligada à exploração de petróleo, vai refazer desde o início as negociações que haviam sido iniciadas há dois anos com a Bolívia e que foram interrompidas por causa das sucessivas crises políticas e institucionais ocorridas naquele país.

As negociações deve ser ocorrer a partir da posse do novo Presidente da Bolívia, Evo Morales, no dia 22 de janeiro, de acordo com as informações passadas pelo diretor da Área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró. Em entrevista para a Agência Brasil ele disse: "Não houve oportunidade para desenvolver o projeto e, a partir de agora, volta-se a apresentar a proposta partindo do zero. Ou seja, vai começar de novo a negociação".

Cerveró disse que as negociações feitas há dois anos previam a participação da estatal boliviana YPFB em empreendimentos da Petrobras, como as refinarias de Cochabamba e Santa Cruz de la Sierra, adquiridas pela empresa brasileira na década de 90, e o pólo gás-químico que a Petrobras pretende construir na Bolívia.

O Presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli deseja reunir-se com Morales para discutir assuntos relacionados ao setor de petróleo e gás, informou a assessoria da presidência da Petrobras. O encontro poderia ocorrer até mesmo antes da posse do novo presidente boliviano, que disse que virá ao Brasil para encontrar-se com o Presidente Luiz Inácio Lula a Silva, no próximo dia 13, segundo informou o Palácio do Planalto.

Entre os assuntos que poderão ser discutidos no encontro entre os dois presidente está a nova Lei de Hidrocarbonetos, que aumentou de 18% para 50% a taxação sobre empresas estrangeiras que atuam n Bolívia.

Até de novembro de 2005, a Petrobras investiu na Bolívia cerca de US$ 41 milhões. Em 2003, os investimentos feitos pela estatal brasileira em território boliviano foram U$ 49 milhões e, em 2004, U$ 19 milhões.

Os primeiros investimentos da Petrobras na Bolívia remontam ao final de 1995, época em que foi criada a subsidiária Petrobras Bolívia, que começou a operar em meados de 1996. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, a Petrobras Bolívia tornou-se a maior empresa do país, em menos de dez anos. Os investimentos totais nos projetos bolivianos alcançaram um total de aproximadamente US$ 1 bilhão no período 1996-2004.

Fontes