Brasil nega-se a classificar FARC como terroristas e critica países que fazem isso

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de janeiro de 2008

Brasil

Segundo o Assessor Especial da Presidência da República do Brasil, Marco Aurélio Garcia, o governo brasileiro não classifica a narcoguerrilha comunista das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC-EP) como organização terrorista porque "ao contrário de outros governos, não temos o hábito de distribuir certificados".

Em entrevista para a Agência Brasil, ao falar sobre os preparativos da operação de libertação de reféns das FARC, Garcia disse: "nós sempre tivemos uma preocupação de não classificar ninguém" e que "o governo tem suas opiniões" mas "ao contrário de outros governos, não temos o hábito de distribuir certificados".

O Assessor Especial da Presidência do Brasil chamou de "má conduta" países que classificam as FARC como terroristas. Segundo ele, não se deve classificar as FARC como terroristas porque isto atrapalharia as negociações.


Notícias relacionadas

Referências