Brasil defende assento para Cuba na OEA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de junho de 2005

O ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim disse para a secretária de Estado dos Estados Unidos da América, Condoleezza Rice, que Cuba deve ter um assento na Organização dos Estados Americanos (OEA). O ministro participa da 35ª Assembléia Geral da OEA, em Fort Lauderdale, na Flórida, Estados Unidos da América.

Segundo a Agência Brasil, Amorim disse: Referência foi feita aqui a um assento vazio em nossa organização. Nós também consideramos isso uma anomalia e também lamentamos que assim o seja. O Brasil, inclusive, com o apoio de outros países, propôs que se abrisse um diálogo sobre essa situação.

Cuba é o único país do continente americano que não participa da OEA porque a democracia é requisito necessário para fazer parte da organização.

A Secretária de Estado dos EUA Condoleeza Rice disse que o assento vazio é "um lugar que um dia será preenchido pelos representantes de uma Cuba livre e democrática".

Fontes