Bandidos atacam ônibus à luz do dia em São Paulo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

15 de maio de 2006

São Paulo — As ondas de ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) continuam com incêndios em ônibus em diversos pontos da cidade de São Paulo, sobretudo na região leste. Segundo últimas informações divulgadas pelas emissoras de televisão, já são mais de 150 ataques desde sexta-feira, início da crise de segurança que se iniciou na capital paulista, se espalhou pelo estado e já registrou ocorrências nos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. Nas últimas 2 horas já ocorreram cerca de 5 ataques a ônibus, sendo estes incendiados. Além de ônibus, carros de policiais e viaturas também foram atacadas. Neste exato momento 45 presídios no estado de São Paulo estão rebelados mantendo 196 pessoas reféns (dados de 14:27). Ainda não há informações oficiais dos ataques do PCC, já que a Secretaria de Segurança Pública do Estado não divulga informações desde ontem à noite.

Prejuízos

Em virtude dos ataques aos ônibus e agências bancárias, o clima de medo e insegurança tomou conta da capital paulista, esta manhã. Também uma estação do metrô, a de Artur Alvim, região leste da capital, também foi atacada. O saldo parcial é de 81 mortos, 80 detidos, 13 agências bancárias danificadas, 68 ônibus incendiados, 10 empresas de ônibus paralizadas e 2 milhões de passageiros sem transporte público. O governo federal propôs ajuda ao estado de São Paulo, mas o governador do estado, Cláudio Lembo, negou auxílio. Esta tarde, o Ministro da Justiça, Márcio Tomaz Bastos, se reunirá com o governador para analisar a situação e propor novamente ao estado ajuda federal.

Fontes