Banco Central anuncia que vai lançar cédula de R$ 200

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nova cédula para família. Imagem meramente ilustrativa.

31 de julho de 2020

A nova criação da nota de 200 reais anunciada nessa Quarta (29) pelo Banco Central faz parte de uma história de raras mudanças na gama de cédulas de real desde o início de circulação da moeda. Trata-se de um novo valor pela primeira vez desde 2002.

Em 2002, veio a nota de 20 reais sendo a última nota a ser lançada. Um ano antes, surgiu a nota de R$ 2. E houve a aposentadoria da nota de R$ 1, em 2005. Para a política monetária, a expectativa é muito importante, mas os economistas apontam que o Brasil está bem longe de voltar a ver inflação alta.

Por que o BC decidiu criar a nota de 200 reais agora?

Está exatamente nos efeitos da pandemia a explicação do Banco Central sobre por que lançar esta nova cédula, que começará a circular no fim de agosto, com imagem do lobo-guará. Os detalhes da imagem da cédula, que está em fase final de testes, não foram revelados.

O Banco Central diz que a decisão, aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), foi tomada para "atender ao aumento da demanda por dinheiro em espécie que se verificou durante a pandemia de covid-19".

Significado monetário na nova nota de 200 reais

A nota de R$ 100 foi lançada no dia 1 de julho de 1994, quando o Plano Real passou a valer no Brasil. Depois de 26 anos, a inflação acumulada desde esse dia é de 521%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Ainda não chegamos a esse ponto, mas teremos uma nova nota circulando pelo Brasil em breve: a de R$ 200. Ela será estampada pelo lobo-guará, animal típico do cerrado brasileiro. 450 milhões de cédulas serão impressas ainda este ano, mas ainda não se sabe a data definitiva do lançamento.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com