Bancada do PDT decide apoiar Aldo na Câmara

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Candidato Aldo Rebelo em entrevista.

31 de janeiro de 2007

Brasília

O PDT decidiu nesta terça-feira (30) criar um bloco dentro da Câmara com PC do B e PSB e apoiar a candidatura à reeleição de Aldo Rebelo (PC do B-SP) à presidência da Casa. "Ao optar pelo bloco, o partido decide apoiar a candidatura do Aldo", afirmou o presidente do PDT, Carlos Lupi.[1][2][3]

A criação de "bloco" entre partidos é usada dentro da Câmara para que as legendas com poucos deputados possam se juntar para terem direito a cargos na mesa diretora e em comissões. Juntos, PSB, PC do B e PDT terão 63 deputados. Outros pequenos partidos, como PMN e PAN, cogitam também fazer parte deste bloco.

A decisão do PDT frustra o candidato do PT, Arlindo Chinaglia (SP), que esperava o apoio do partido nesta terça para tentar garantir a vitória no primeiro turno na próxima quinta-feira dia 1 de fevereiro.

Dissidências

A aliados, o petista chegou a dizer que reservou espaço na agenda para ser chamado à reunião do PDT para ser aclamado pelo partido. Agora, o petista apostará nas dissidências dentro da sigla, enquanto Aldo ganha mais chances de chegar a uma segunda votação contra o petista.


Fontes