Atentado suicida deixa pelo menos 13 mortos e 19 feridos no Afeganistão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência Brasil

27 de agosto de 2017

Na província de Helmand, no sul do Afeganistão, um ataque terrorista deixou pelo menos 13 pessoas mortas e outras 19 feridas neste domingo (27). O ataque ocorreu quando um veículo militar passava.

Em uma entrevista para o canal afegã Tolo, o porta-voz do governo provincial, Omar Zwak, afirmou que um terrorista suicida detonou explosivos no momento em que passava o veículo militar no distrito de Nawa.

A agência local Pajhwok recebeu a confirmação do atendado contra a viatura militar por Agha Mohammad, atual chefe do distrito, que também informou a inexistência de postos de controle na área afetada pela explosão, sendo assim, o veículo era o principal alvo.

O ataque foi reivindicado pelo talibã por meio de um comunicado, no qual informaram que "um heroico" combatente se sacrificou em um ataque contra "tropas mercenárias", deixando "muitos inimigos mortos e feridos".

Ataque suicida

O atentado ocorreu dois dias após o ataque suicida reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), o qual deixou pelo menos 28 pessoas mortas e mais de 50 feridas em uma mesquita da minoria muçulmana xiita em Cabul.

Este ataque fue el primer gran incidente ocurrido en Afganistán después del anuncio de Donald Trump, presidente de Estados Unidos. Por el cual Trump anunció su nueva estrategia para el país, incluido el envío de nuevas tropas.

Esse ataque foi o primeiro grande incidente ocorrido no Afeganistão após o anúncio do presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que na última segunda-feira anunciou sua nova estratégia para o país, que inclui o envio de mais tropas americanas.

De acordo com o relatório deste mês do Inspetor Especial para o Afeganistão (Sigar) dos Estados Unidos, a guerra no Afeganistão está "estagnada", e cerca de 40% do país está sobre controle dos insurgentes.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati