Angolanos na diáspora protestam contra prisão de activistas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

Amnistia Internacional participa na manifestação de Lisboa, na próxima quarta-feira, 29.

27 de julho de 2015

Angolanos na diáspora realizam uma série de manifestações em diversas cidades europeias nesta semana em protesto contra a prisão de 15 activistas do auto-denominado Movimento Revolucionário.

A organização é do Movimento para a Paz e Democracia em Angola (MPDA) e para já Lisboa (capital de Portugal) no dia 29 e Bruxelas (capital da Bélgica) no dia 31, serão as primeiras cidades a receber os protestos que voltarão a Bruxelas a 14 e 27 de Agosto em dois lugares diferentes.

A secção portuguesa da Amnistia Internacional (AI) anunciou que estará presente na “concentração pela liberdade de expressão em Angola”, que se realizar às 18 horas de quarta-feira, 29, no Largo de São Domingos, Rossio, em Lisboa, “renovando os apelos à libertação de todos os activistas, defensores de direitos humanos e prisioneiros de consciência visados na recente vaga de repressão das autoridades angolanas”.

A organização de direitos humanos mantém uma campanha intensa a favor das quase duas dezenas de activistas e cidadãos angolanos que foram detidos ao longo dos últimos meses “tão simplesmente por exercerem o seu direito de liberdade de expressão e liberdades fundamentais de cidadania”.

O comunicado da AI lembra que na semana passada “outros quatro activistas e um jornalista ficaram retidos durante mais de oito horas quando foram visitar aqueles prisioneiros de consciência detidos em Junho”.

A organização reitera estar a desenvolver igualmente uma frente de campanha pela libertação do activista José Marcos Mavungo, detido em Cabinda há mais de quatro meses e acusado de crime contra a segurança do Estado, “apenas por estar envolvido na organização de uma manifestação de protesto contra violações de direitos humanos e a governação naquela região de Angola”.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati